24 de nov de 2017

ESTUDANDO O LIVRO DOS ESPÍRITOS

SEGUNDA PARTE - CAPÍTULO IX
INTERVENÇÃO DOS ESPÍRITOS NO MUNDO CORPÓREO



       484. Os Espíritos se afeiçoam de preferência a certas pessoas?
       — Os bons Espíritos simpatizam com os homens de bem, ou suscetíveis  de se melhorar; os Espíritos inferiores, com os homens viciosos ou que podem viciar-se: daí o seu apego, resultante da semelhança de sensações.
      485. A afeição dos Espíritos por certas pessoas é exclusivamente moral?
      — A afeição verdadeira nada tem de. carnal; mas quando um Espírito se apega a uma pessoa, nem sempre o f az por afeição, podendo existir no caso uma lembrança de paixões humanas.
      486. Os Espíritos se interessam pelos nossos infortúnios e pela nossa prosperidade? Os que nos querem bem se afligem pelos males que experimentamos na vida?
      — Os bons Espíritos fazem todo o bem que podem e se sentem felizes com as vossas alegrias. Eles se afligem com os vossos males, quando não os suportais com resignação, porque então esses males não vos dão resultados, pois procedeis como o doente que rejeita o remédio amargo destinado a curá-lo.
      487. Qual a espécie de mal que mais faz os Espíritos se afligirem por nós: o mal físico ou o mal moral?
      — Vosso egoísmo e vossa dureza de coração: é disso que tudo deriva. Eles riem de todos esses males imaginários que nascem do orgulho e da ambição e se rejubilam com os que. têm por fim abreviar o vosso tempo de prova.
  Comentário de Kardec:  Os Espíritos, sabendo que a vida corporal é apenas transitória e que as tribulações que a acompanham são meios de conduzir a um estado melhor, se afligem mais pelas causas morais que podem distanciar-nos desse estado do que pelos males físicos
        Os Espíritos pouco se importam com os infortúnios que só afetam as nossas idéias mundanas, como fazemos com as aflições pueris da infância.
        O Espírito que vê nas aflições da vida um meio de adiantamento para nós considera-as como a crise momentânea que deve salvar o doente. Compadece-se dos nossos sofrimentos como nos compadecemos dos sofrimentos de um amigo mas vendo as coisas de um ponto de vista mais Justo, aprecia-os de maneira diversa, e enquanto os bons reerguem a nossa coragem, no interesse do nosso futuro os outros, tentando comprometer-nos, nos incitam ao desespero.
        488. Nossos parentes e nossos amigos, que nos precederam na outra vida, tem mais simpatia por nós do que os Espíritos que nos são estranhos?
       — Sem dúvida, e freqüentemente vos protegem como Espíritos, de acordo com o seu poder.
       488 – a) São eles sensíveis à afeição que lhes conservamos?
       — Muito sensíveis, mas esquecem aqueles que os esquecem.

14 de nov de 2017

LIVRO DO MÊS

"Mas eu roguei por ti, para que a tua fé não desfaleça" - Jesus (Lucas, 22:32)

A sugestão de leitura para o mês de novembro é o livro Plenitude, de Divaldo Franco pelo espírito de Joanna de Ângelis.
A lição, Sofrimento ante a Morte (capítulo XII) nos esclarece:

"A preparação conveniente para enfrentar a morte faculta uma aceitação do seu fatalismo, e, portanto, uma diminuição do sofrimento."


Sugestão de: Léa Souza da Silva
Visite nossa Biblioteca - Ivan de Almeida Sá

6 de nov de 2017

REUNIÕES PÚBLICAS

Terças - 14 h
DIA
TEMA
EXPOSITOR
DIRIGENTE
07
Meu reino não é deste mundo - ESE, II
Ivone Maria
Antônio
 Oliveira
14
Paraíso, inferno e purgatório - LE, 1012 a 1019
Luiz Fernando
Ana Maria
21
Gotas de Esperança - lição 29
Alice Maia
Dircileide
Caridade para os criminosos - ESE, XI, 13 e 14
Leda Lúcia
28
O fantasma da Srta. Clarion - Revista Espírita, fev./1858
Antônio
 Oliveira
Maria Helena
Hilda Negrão - Livro:  Mulheres Médiuns
Ivone Maria
Sextas - 20h
03
A alma - LE, 134 a 146
Laura Barra
Ângela Vidal
10
Bezerra de Menezes
Edgard Abreu
Gilberto Marques
17
Gotas de Esperança - lição 24
Walkiria
Heloise
Retribuir o mal com o bem - ESE, XII, 1 a 4
Anarian Alves
24
Ermance Dufaux - Livro:  Mulheres Médiuns
Gilberto Marques
Nancy Salles
Perda de pessoas amadas. Morte prematura - ESE, V,21
Bruno Toscano
Sábado - 17h:30min
04
Aprendendo com André Luís - Livro: Ação e Reação
Wantuil Rodrigues
Walkiria
11
Temor da morte
Mauro Araújo
Maria Cristina
18
Gotas de Esperança - lição 12
Pedro Henrique
Sara Castelo
Bem-aventurados os que têm puro o coração - ESE, VIII
Priscila Chagas
25
A beneficência  - ESE, XIII, 11 a 16
Sara Castelo
Nancy Salles

2 de out de 2017

REUNIÕES PÚBLICAS

Terças - 14 h
DIA
TEMA
EXPOSITOR
DIRIGENTE
03
Alan Kardec
Sérgio Daemon
Ivone Maria
10
Falsos Profetas - ESE, XXI, 11
Joaquim Couto
Ana Maria
17
Doutrina Espírita: uma proposta educativa para humanidade
Darcy Neves
Dircileide
24
Émile Girardin - Livro:  Mulheres Médiuns
Ivone Maria
Maria Helena
Nicodemos, o amigo - Livro:  Primícias do Reino
Maria Fausta
31
O homem no mundo - ESE, XVII, 10
Denise Duarte
Antônio Oliveira
Sextas - 20h
06
Considerações inclusivas fundamentais
Sônia Hoffman
Heloise
13
Da Lei de Liberdade - LE, 825 a 842
Odiléa Ferraz
Ângela Vidal
20
Coral do Centro Espírita João Batista
Homenagem à Amaral Ornellas
Gilberto Marques
Nancy Salles
27
O mal do medo - Revista Espírita, out/1858
Heloise
Walkyria
A transcendente sinfonia do amor - Livro: Dias Venturosos
Nilza Erich
Sábado - 17h:30min
07
Aprendendo com André Luiz - Livro: Ação e Reação
Wantuil Rodrigues
Nancy Salles
14
Muitos os chamados poucos os escolhidos - ESE, XVIII
Helena Langone
Maria Cristina
21
Da Lei do Trabalho - LE, 3ª parte, III
Clodes Coutinho
Sara Castelo
28
Gotas de Esperança - lição 72
Elysa
Walkiria
O períspirito - GE, XIV, 7 a 11
Sônia Brandão

25 de set de 2017

ESTUDANDO O LIVRO DOS ESPÍRITOS

SEGUNDA PARTE - CAPÍTULO IX
INTERVENÇÃO DOS ESPÍRITOS NO MUNDO CORPÓREO

     481. Os Espíritos desempenham algum papel nos fenômenos que se produzem entre os indivíduos chamados convulsionários?
— Sim, e muito grande, como também o magnetismo, que é a sua primeira fonte. Mas o charlatanismo tem freqüentemente explorado e exagerado os seus efeitos, o que o pôs em ridículo.
       481 – a) De que natureza são, em geral, os Espíritos que concorrem a essas espécies de fenômeno?
       — Pouco elevados; acreditais que Espíritos superiores perdessem tempo com tais coisas?
       482. Como o estado anormal dos convulsionários e dos nervosos pode estender-se subitamente a toda uma população?
       — Efeito simpático. As disposições morais se comunicam mais facilmente  em certos casos; não sois tão alheios aos efeitos magnéticos para não compreender esse fato e a parte que alguns Espíritos devem nele tomar, por simpatia pelos que os provocam(1).
  Comentário de Kardec: Entre as faculdades estranhas que se notam nos convulsionários reconhecemos facilmente algumas de que o sonambulismo e o magnetismo oferecem numerosos exemplos: tais são, entre outras, a insensibilidade física, a leitura do pensamento a transmissão simpática de dores etc. Não se pode duvidar que esses indivíduos em crise estejam numa espécie de estado sonambúlico desperto, provocado pela influência que exercem uns sobre os outros. Eles são, ao mesmo tempo, magnetizadores e  magnetizados, sem o saber,.    
      483. Qual a causa da insensibilidade física que se verifica, seja entre certos convulsionários, seja entre outros indivíduos submetidos às torturas mais atrozes?
      — Entre alguns, é um efeito exclusivamente magnético, que age sobre  sistema nervoso da mesma maneira que certas substâncias. Entre outros a exaltação do pensamento embota a sensibilidade, pelo que a vida parece haver-se retirado do corpo e se transportado ao Espírito. Não sabeis que quando o Espírito está fortemente preocupado com uma coisa, o corpo não sente, não ouve e não vê?
Comentário de Kardec:  A exaltação fanática e o entusiasmo oferecem muitas vezes, nos casos de suplício o exemplo de uma calma e de um sangue frio que não poderiam triunfar de uma dor aguda, se não se admitisse que a sensibilidade foi neutralizada por uma espécie de efeito anestésico. Sabe-se que, no calor do combate, freqüentemente não se percebe um ferimento grave, enquanto nas circunstâncias ordinárias uma arranhadura provoca  tremores.
       Desde que esses fenômenos dependem de uma causa física e da ação de certos Espíritos, podemos perguntar como. em alguns casos, a autoridade os pode fazer cessar. A razão é simples. A ação dos Espíritos é secundária; eles nada mais fazem do que aproveitar uma disposição natural. A autoridade não pode suprimir essa disposição, mas a causa que a entretinha e exaltava; de ativa, ela o torna latente e com razão para agir assim, porque o fato resultava em abuso e escândalo. Sabe-se, aliás,  que essa intervenção é impotente,  quando a ação dos  Espíritos é direta e espontânea.

(1) Esta resposta dos Espíritos lembra a Kardec os estudos magnéticos a que se dedicara longamente, antes do Espiritismo, e que lhe serviram, como se vê, de preparação para o desempenho de sua missão de pesquisador e codificador. (N. do T.)

6 de set de 2017

4 de set de 2017

REUNIÕES PÚBLICAS

Terças - 14 h
DIA
TEMA
EXPOSITOR
DIRIGENTE
05
Pressentimentos - LE, 522 a 535
Aimar Sobreira
Ivone Maria
12
O homem depois da morte - Livro: O que é o Espiritismo?
Luiz Fernando
Ana Maria
19
Gotas de Esperança - lição 180
Wilson
Dircileide
Causas das Aflições - ESE, V, 4 a 10
Leda Lúcia
26
Benedita Fernandes - Livro:  Mulheres Médiuns
Sylvia Maria
Maria Helena
A Inveja - Revista Espírita, julho/1858
Ivone Maria
Sextas - 20h
01
Interação mente-corpo - Livro: Dias Gloriosos
Ana Rosa
Ângela Vidal
08
Tema Livre
Frederico G. Kramer
Heloise
15
Gotas de Esperança - lição 157
Walkiria
Nancy Salles
Bem aventurados os mansos e pacíficos - ESE, IX, 1 a 6
Jorge da Conceição
22
Evangelho e Vida: Como enfrentar os momentos delicados?
Adriano Almeida
Gilberto Marques
29
Tecnologia - Livro: Atualidade do Pensamento Espírita
Marcelo São Tiago
Nilza Erich
Sábado - 17h:30min
02
Aprendendo com André Luiz - Livro: Ação e Reação
Wantuil Rodrigues
Maria Cristina
09
Expiação e Arrependimento - LE, 990 a 1102
Telma Brilhante
Nancy Salles
16
Aniversário da Juventude Espírita Amaral Ornellas
Karina Ocanha
Sylvia Maria
23
Nunca mais a sós - Livro: Dias Gloriosos
Nancy Salles
Walkiria
Ensino Religioso - Livro: Atualidade do Pensamento Espírita
Antônio Oliveira
30
A fé transporta montanhas - ESE
George de Souza
Sara Castelo