16 de jun de 2010

ESPIRITISMO E ECOLOGIA

SINAIS DE ALERTA

"Neste momento em que experimentamos uma crise ambiental sem precedentes na história da Humanidade, é importante reconhecer a nossa responsabilidade, como espécie 'mais evoluída', da destruição dos recursos naturais não renováveis fundamentais à vida. Mudanças climáticas, escassez de recursos hídricos, produção monumental de LIXO, destruição sistemática e veloz da BIODIVERSIDADE, crescimento caótico e desordenado das cidades em que vive a maior parte da população mundial, TRANSGENIA irresponsável, são problemas causados por nós, pelo nosso estilo de vida, hábitos, comportamentos e padrões de consumo. É o nosso livre-arbítrio em ação, determinando escolhas que têm pressionado a RESILIÊNCIA do planeta e o conforto ambiental da espécie que se considera no 'topo da cadeia evolutiva'.
O modelo de desenvolvimento vigente foi descrito no relatório do Brail para a Conferência Iternacional da ONU sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (Rio-92) como sendo 'ecologicamente predatório, socialmente perverso e politicamente injusto'. Alguns pesquisadores preferem usar a expressão 'ecocídio' para designar o extermínio das condições que suportam a vida no planeta. Cabe ressaltar aqui que somos nós os predadores do ambiente que nos acolhe. Não se trata de uma fatalidade, castigo divino ou outra razão mística qualquer. Estamos hoje sofrendo os efeitos das escolhas que fazemos no dia a dia. Se somos a causa dos problemas, também é verdade que as soluções precisam partir de nós. Devemos buscar alternativas, novos conceitos de gestão, uma nova economia, uma nova ética civilizatória baseada na SUSTENTABILIDADE".

Livro: Espiritismo e Ecologia
Autor: André Trigueiro

2 comentários:

  1. Na verdade, quando dizemos que os culpados somos nós, referimos ao Homem.
    Mas nós, cidadaos comuns, nao somos os culpados. E sim nossos governantes que tem recursos mais do que suficientes para administrar a vida no planeta, e nao o fazem por puro egoismo, enriquecendo as custas do resto da humanidade e provocando o ecocidio direta e indiretamente.

    ResponderExcluir
  2. Querido irmão,
    Todos nós, quando retornamos ao planeta, na condição de encarnados, temos as nossas responsabilidades, que estão ligadas a diversos campos. É fato que alguns, por exemplo, possuem uma responsabilidade maior em determinado assunto,uma vez que a atitude exercida pode impactar a vida de muitos. A nós, no entanto, cabe identificar o que podemos fazer para auxiliar, por mais que julguemos não dispor de recursos suficientes para tal. Na condição de cidadãos comuns, temos hoje a nossa disposição o conhecimento sobre as várias formas de auxiliar o planeta. A coleta seletiva, mesmo praticada por uma minoria, produz resultados significativos. Por outro lado, o descarte incorreto do óleo de cozinha, realizado por uma única pessoa, produz resultados desastrosos que atingem não apenas o encanamento, mas também a fauna aquática e o solo - contribuindo para as enchentes e agravando o efeito estufa. Assim como compreendemos que a atitude de um só pode causar muitos males, precisamos por em prática a ideia de que a atitude positiva pode render muitos frutos. André Luiz nos alerta: "Nas lutas habituais, não exija a educação do companheiro. Demonstre a sua. Nas tarefas do bem não aguarde colaboração. Colabore, por sua vez, antes de tudo. As suas lágrimas não substituem o suor que você deve verter em benefício da sua própria felicidade." Segundo Jesus: “A cada um será dado segundo suas obras”.

    ResponderExcluir

Gostou? Comenta.