16 de jun de 2010

SAUDADE E ESPERANÇA

Saudade. Uma palavra simples que muda de significado e intensidade de acordo com aquele que a sente. Para aqueles que já não podem mais conviver com seus afetos, a saudade se apresenta em grande proporção, muitas vezes dificuldando a vivência de cada dia. Por meio do Espiritismo, no entanto, nossos corações se acalmam, uma vez que passamos a acreditar que a morte nada mais é do que uma passagem e, que em breve, estaremos reunidos com nossos afetos num único abraço. A mensagem abaixo reforça o pensamento de que Deus jamais separaria para sempre os corações que se amam. Além disso, Emmanuel traz orientações sobre a postura daqueles que ficaram na Terra, de forma a auxiliar os irmãos que retornaram à verdadeira Pátria espiritual.


SAUDADE E ESPERANÇA

"Nunca demais referir-se ao imperativo da conformação e da serenidade que se deve manter na terra, em apoio daqueles que te precederam no fenômeno da morte.

Entendemos quanto dói o adeus entre aqueles que as dimensões vibratórias separam entre campos diferentes da vida. Entretanto, se te encontras entre os que lastimam a perda de seres queridos, compadece-te deles, auxiliando-lhes a sustentação com a tua própria fé.

O pensamento é mensagem com endereço. E a tua saudade, quando entretecida de angústia e pranto, é uma projeção de sombra e sofrimento que lhes arremessa em rosto, conturbando-lhes os corações ou obscurecendo-lhes os caminhos.

Sobretudo, não te revoltes contra a Divina Providência como se estivesses provocando a perpetuidade de tua dor. A desencarnação sem complexos de culpa é o melhor que pode acontecer a todos aqueles que partem no rumo de vivências novas na Vida Espiritual.

Esse companheiro deixou o corpo, depois de perigoso acidente circulatório para não ser algemado à paralisia por longos meses, aquele se desvencilhou do envoltório material, no curso de grave enfermidade, forrando-se à provação de contrair perturbações mentais irreversíveis; outro liberou-se da experiência humana, no instante áureo da juventude por haver encerrado o ciclo de resgates determinados, de modo a promover-se nas esferas de elevação; e outros ainda se desvinculam da veste física, ante o alvorecer da existência, na condição de crianças que, por força do próprio passado, nos princípios de causa e efeito, terminam processos de luta reparadora em que se achavam incursos, muitas vezes conduzidos, de um plano para outro, a fim de trocarem um corpo doente por outro mais habilitado à execução das tarefas evolutivas que lhes cabe sustentar.

Diante dos chamados mortos a quem tanto amas, não lhes agraves os problemas com as flechas vibratórias do sofrimento, marcado a fogo de inconformidade ou rebeldia.

Padecendo embora o vazio na própria alma, ilumina a saudade com as preces da esperança e envia-lhes reconforto e encorajamento, amparo e consolação.

Ora pela paz de quantos se te adiantaram na transferência para a Vida Maior e entraga-se a Deus, na certeza de que Deus, em nos criando para o amor uns pelos outros, jamais nos separaria os corações para sempre".

Autor: Emmanuel
Livro: Amanhece
Psicografia: Francisco Cândido Xavier

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Comenta.