15 de ago de 2010

CANTINHO DA POESIA

O TEMPO
(Parnaso de Além-Túmulo - 1932)
“ O tempo é campo eterno em que a vida enxameia
Sabedoria e amor na estrada meritória.
Nele o bem cedo atinge a colheita da glória
E o mal desce ao paul de lama, cinza e areia.

Esquece a mágoa hostil que te oprime e alanceia.
Toda amargura é sombra enfermiça e ilusória...
Trabalha, espera e crê... O serviço é vitória
E cada coração recolhe o que semeia.

Dor e luta na Terra - a Celeste Oficina -
São portas aurorais para a Mansão Divina.
Purifica-te e cresce, amando por vencê-las...

Serve sem perguntar por 'onde', 'como' e 'quando',
E, nos braços do Tempo, ascenderás cantando
Aos Píncaros da Luz, no País das Estrelas !”.

( Chico Xavier / Amaral Ornellas )

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Comenta.