24 de nov de 2010

A PONTE

O homem andava pelo caminho árido. Longo era o percurso a vencer. Chegou afinal a um ponto onde pensou que não poderia prosseguir. Enorme abismo se apresentava à frente. Como transpô-lo? Sentou-se desolado à beira da garganta escancarada.
E agora? Então olhou para sua direita e divisou um pouco além de onde se encontrava, o perfil de uma ponte. Ébrio de contentamento, dirigiu-se para lá. As forças lhe voltaram e ele, satisfeito, caminhou sobre o abismo de rochas nuas, seguro, graças à ponte.
São variadas as pontes no mundo e, algumas, famosas. A Golden Gate em São Francisco; a Presidente Costa e Silva, mais conhecida como Rio-Niterói; a Ponte da Amizade, ligando Brasil e Paraguai; a Ponte Neuf, em Paris. Diferentes em largura, comprimento e arquitetura. Todas, no entanto, traço de união entre duas extremidades distantes. Você já pensou alguma vez se tornar uma ponte? Ponte entre Deus e os homens, entre a luz e as sombras?
Um hífen de luz entre a dor e o medicamento precioso, entre o desalentado e o consolo, entre o faminto e o alimento? Estenda suas mãos e aja. Enquanto muitos reclamam das distâncias, estenda os braços e estabeleça a ponte da fraternidade. Quando vários gritam em face do caos que impera, estenda a ponte da organização e da disciplina. Seja uma ponte entre a miséria e o trabalho digno, convidando os companheiros que seguem com você, a se engajarem em ocupação útil que garante o pão, o abrigo, a nobreza de servir. Lembre que entre os homens e Deus, Jesus, o Divino Amigo ainda hoje permanece de braços abertos, conforme Ele mesmo afirmou: Tudo que pedirdes ao Pai em Meu nome, Ele vos dará.
* * *
Estêvão, o primeiro mártir do Cristianismo tornou-se uma ponte entre Jesus e o Apóstolo Paulo, filtrando o pensamento do Cristo, para que as epístolas traduzissem as recomendações do Mestre aos núcleos nascentes da Boa Nova.
Chico Xavier fez da sua existência uma ponte entre o mundo visível e invisível, fazendo sol nas almas, encurtando as distâncias da saudade.
A exemplo dele, pontes se multiplicam no mundo, na ação de homens e mulheres que se anulam em benefício do próximo.
Madre Teresa de Calcutá, Alberto Schweitzer, Irmã Dulce. Sem falar nos professores que estabelecem a ponte entre o livro e a ignorância, descerrando os caminhos da cultura. Médium, servidor, amigo, irmão. Onde esteja, torne-se uma ponte de amor, de alegria, de serviço.
* * *
Deus vive, manifesta e dilata o Seu amor através das criaturas. Onde você estiver, Ele se manifestará. Permita que os outros O sintam através de você, da sua ação, da sua palavra e da sua expressão. Pense nisso. Mas pense, agora!

Redação do Momento Espírita.
Disponível no CD Momento Espírita, v. 2, ed. Fep.
Em 03.11.2009.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Comenta.