24 de jun de 2012


CANTINHO DA POESIA

Espera e Confia.




Meimei

Eis a dupla singular

- Escora que nos descansa:

Sentir sem desanimar,

Nunca perder a esperança.


Se sofres, serve e confia,

Não te queixes, nem te irrites.

Espera. A bênção de Deus

É proteção sem limites.



Brilhe Vossa Luz - Francisco Cândido Xavier - Carlos A. Baccelli - Espíritos Diversos




18 de jun de 2012

REFLEXÕES
Nada Temas...


Irmão de jornada.

Abençoa a prova redentora que te eleva e equilibra.

Quando a subida se fizer mais difícil, faze uma pausa, adentra o santuário silencioso da prece, e sentirás a presença amiga daqueles que te amam e te guiam.

Esvazia a mente de todo pensamento sombrio.

Recebe cada amanhecer como promessa de novas vitórias.


Prepara-te para o repouso noturno como quem segue novos aprendizados, na companhia dos benfeitõres espirituais.

Nada temas.

Segue e confia, abrigando-te sempre no recanto pacífico da tua consciência, onde te sentirás seguro e feliz, porque ali habita o Pai.

Pelo Espírito de Scheilla , psicografia de Francisco Candido Xavier do livro A mensagem do dia.

11 de jun de 2012

ESPIRITISMO E ECOLOGIA

De 13 a 22 de junho, o Rio de Janeiro será a sede do evento Rio+20 - a conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável. Deverão participar líderes dos 193 países que fazem parte da ONU. O principal objetivo do encontro é renovar e reafirmar a participação dos líderes com relação ao desenvolvimento sustentável no planeta Terra. É, portanto, uma segunda etapa da Cúpula da Terra (ECO-92) que ocorreu há 20 anos na cidade do Rio de Janeiro. Dentre os temas que serão debatidos, destacam-se: balanço do que foi feito nos últimos 20 anos em relação ao meio ambiente; ações para garantir o desenvolvimento sustentável do planeta; maneiras de eliminar a pobreza; a governança internacional no campo do desenvolvimento sustentável. Por isso, nós , espíritas cristãos, ou simpatizantes, temos para nosso bem e bem de toda a humanidade terrena que estar altamente compromissados com as questões da sustentabilidade do Planeta - Mãe - Terra, que nos abriga, por misericórdia de Deus. Vibremos positivamente para que esta conferência atinja os objetivos alcançados e reflitamos no avanço já realizado e nas próximas etapas. Que façamos a nossa parte para tornar o planeta mais acolhedor. "A Terra produziria sempre o necessário, se com o necessário soubesse o homem contentar-se. Se o que ela produz não lhe basta a todas as necessidades , é que ele a emprega no supérfluo o que poderia ser empregado no necessário”. (Allan Kardec - Livro dos Espíritos – cap. V, da Lei de Conservação Como forma de contribuir para os cuidados com o planeta, destacamos algumas eco dicas, que podem ser praticadas no dia a dia. Para mais detalhes, indicamos o site http://sustentabilidadedf.multiply.com/journal/item/2 :

10 de jun de 2012

MOMENTO CEAO




Nosso tema este mês é valorização da vida e, por isso, vamos lembrar-nos de três Espíritos, que em suas mais recentes encarnações nos deram um grande exemplo de valorização da vida pelo empenho com que atuaram a frente de trabalhos valorosos de amparo e esclarecimento ao próximo: Aurino Costa que fundou a Ação Cristã Vicente Moretti, Amazonas Hércules e seu trabalho em Curupaiti à frente dos trabalhos do C.E. Filhos de Deus e Jerônimo Mendonça atuando nas cidades do Triângulo Mineiro.

Não vamos trazer suas biografias. Lembraremos, apenas, que viveram as experiências de graves enfermidades: Aurino e Jerônimo com paralisia; o que fez com que Aurino amputasse as pernas e assim poder ser amarrado a uma cadeira de rodas para facilitar o trabalho de obter fundos para a ACVM, enquanto Jerônimo, com paralisia total, vivia deitado em uma maca, divulgando a Doutrina Espírita por diversas cidades e Amazonas com a hanseníase apoiava os companheiros de experiência na enfermidade, desenvolvendo trabalho de expressiva importância de assistência social-espírita aos necessitados residentes nas imediações da Colônia de Curupaiti.

Os três já voltaram à Pátria Espiritual  deixando obras sólidas  que tem como objetivo aliviar o próximo em suas dores e aflições conforme os ensinos  do Mestre Jesus, e que nos oferecem inúmeras oportunidades de servir.
Sigamos seus exemplos, valorizemos a dádiva que é a vida trabalhando para a construção da paz através do bem que podemos fazer como voluntário em alguma instituição como também numa programação individual  de visita a enfermos, aos que vivem só ouvindo-os, encorajando-os e renovando a esperança com as palavras esclarecedoras do Evangelho e da Doutrina Espírita.
              
Que Deus os abençoe!
Fonte :Editorial do Rota de Luz-Boletim Informativo do CEAO- Junho/2012

Vida

Nem a paz, nem o fim! A vida a vida apenas
É tudo que encontrei e é tudo que me espera!
O ouro, a fama, o prazer e as ilusões terrenas
 São lodo, fumo e cinza ao fundo da cratera.

Esvaiu-se a vaidade!... Os júbilos e as penas,
A alegria que exalta e a dor que regenera,
Em cenário diverso aprimorando as cenas,
Continuam, porém, vibrando noutra esfera.

Morte, desvenda à Terra os planos que descobres,
Fala de tua luz aos mais vis e aos mais nobres,
Renova o coração do mundo impenitente!

Dize aos homens sem Deus, nos círculos escuros,
Que além do gelo atroz que te reveste os muros,
Há vida... sempre a vida...na vida eternamente...

Edmundo Xavier de Barros

7 de jun de 2012

MINUTOS DE SABEDORIA





27

NÃO condene os que estão em posição de destaque na política ou na

administração pública.

Não diga que no lugar deles faria melhor.

Enquanto não pomos em ação real nossas forças, não temos certeza do

que são capazes.

Talvez você fizesse pior, se estivesse na posição deles.

Procure desculpar, porque não conhecemos as circunstâncias em que se

encontram aqueles que têm sobre seus ombros o grande peso da

responsabilidade pública.

4 de jun de 2012

Estudando o" Livro dos Espíritos "



Parte Segunda – Mundo espírita ou dos espíritosCapítulo 1 – dos Espíritos










114 Os Espíritos são bons ou maus por natureza ou são eles mesmos que se melhoram?
– São os próprios Espíritos que se melhoram, passando de uma ordem inferior para uma ordem superior.
115 Dentre os Espíritos, alguns foram criados bons e outros maus?
– Deus criou todos os Espíritos simples e ignorantes, ou seja, sem conhecimento. Deu a cada um uma missão com o objetivo de esclarecê-los e de fazê-los chegar, progressivamente, à perfeição pelo conhecimento da verdade e para aproximá-los de Si. A felicidade eterna e pura é para os que alcançam essa perfeição. Os Espíritos adquirem esses conhecimentos ao passar pelas provas que a Lei Divina lhes impõe. Uns aceitam essas provas com submissão e chegam mais depressa ao objetivo que lhes é destinado. Outros somente as suportam com lamentação e por causa dessa falta permanecem mais tempo afastados da perfeição e da felicidade prometida.
115 a Assim sendo, os Espíritos seriam em sua origem semelhantes às crianças, ignorantes e sem experiência, só adquirindo pouco a pouco os conhecimentos que lhes faltam ao percorrer as diferentes fases da vida?
– Sim, a comparação é boa. A criança rebelde permanece ignorante e imperfeita, tem maior ou menor aproveitamento segundo sua docilidade. Porém, a vida do homem tem um limite, um fim, enquanto a dos Espíritos se estende ao infinito.
116 Há Espíritos que permanecerão perpetuamente nas classes inferiores?
– Não, todos se tornarão perfeitos. Eles progridem, mas demoradamente. Como já dissemos, um pai justo e misericordioso não pode banir eternamente seus filhos. Pretenderíeis que Deus, tão grande, tão bom, tão justo, fosse pior do que vós mesmos?
117 Depende dos Espíritos apressar seu progresso para a perfeição?
– Certamente. Chegam mais ou menos rapidamente conforme seu desejo e submissão à vontade de Deus. Uma criança dócil não se instrui mais rapidamente do que uma criança rebelde?
118 Os Espíritos podem se degenerar?
– Não; à medida que avançam, compreendem o que os afasta da perfeição. Quando o Espírito acaba uma prova, fica com o conhecimento que adquiriu e não o esquece mais. Pode ficar estacionário, mas retroceder, não retrocede.
119 Deus não poderia isentar os Espíritos das provas que devem sofrer para atingir a primeira ordem?
– Se tivessem sido criados perfeitos, não teriam nenhum mérito para desfrutar dos benefícios dessa perfeição. Onde estaria o mérito sem a luta? Além do mais, a desigualdade entre eles é necessária para desenvolver a personalidade, e a missão que realizam nessas diferentes ordens está nos desígnios da Providência para a harmonia do universo.
☼ Tendo em vista que na vida social todos os homens podem chegar às primeiras funções, igualmente poderíamos perguntar por que o soberano de um país não promove cada um de seus soldados a general; por que todos os empregados subalternos não são empregados superiores; por que todos os estudantes não são mestres. Portanto, há essa diferença entre a vida social e a vida espiritual: a primeira é limitada e nem sempre permite alcançar todos os graus, enquanto a segunda é indefinida e deixa a cada um a possibilidade de se elevar ao grau supremo.
120 Todos os Espíritos passam pelo mal para chegar ao bem?
– Pelo mal, não, mas sim pela fieira5 da ignorância.
121 Por que alguns Espíritos seguiram o caminho do bem e outros o do mal?
– Não têm eles o livre-arbítrio? Deus não criou Espíritos maus; criou-os simples e ignorantes, ou seja, com as mesmas aptidões tanto para o bem quanto para o mal. Os que são maus o são por vontade própria.
122 Como é que os Espíritos, em sua origem, quando ainda não têm consciência de si mesmos, podem ter a liberdade de escolha entre o bem e o mal? Há neles algum princípio, alguma tendência que os leve para um ou outro caminho?
– O livre-arbítrio se desenvolve à medida que o Espírito adquire a consciência de si mesmo. Não haveria mais liberdade se a escolha fosse determinada ou imposta por uma causa independente da vontade do Espírito. A causa não está nele, e sim fora, nas influências a que cede em virtude de sua livre vontade. É essa a grande figura da queda do homem e do pecado original: uns cederam, outros resistiram à tentação.
122 a De onde parte a influência sobre ele?
– Dos Espíritos imperfeitos que procuram apossar-se dele para dominá-lo e ficam satisfeitos de o fazer fracassar. Foi isso que se quis simbolizar na figura de Satanás.
122 b Essa influência se exerce sobre o Espírito somente em sua origem?
– Essa influência o segue na sua vida de Espírito até que alcance um domínio tão completo sobre si mesmo que os maus desistam de obsediá-lo6
123 Por que Deus permitiu que os Espíritos pudessem seguir o caminho do mal?
– Como ousais pedir a Deus conta de seus atos? Pensais poder penetrar seus desígnios? Entretanto, podeis pensar assim: a sabedoria de Deus está na liberdade de escolha que dá a cada um, porque, assim, cada um tem o mérito de suas obras.
124 Uma vez que há Espíritos que, desde o princípio, seguem o caminho do bem absoluto e outros o do mal absoluto, deve haver, sem dúvida, degraus entre esses dois extremos?
– Sim, certamente, e é aí que se encontra a grande maioria.
125 Os Espíritos que seguiram o caminho do mal poderão chegar ao mesmo grau de superioridade que os outros?
– Sim, mas as eternidades serão para eles mais longas.
☼ Por esta expressão – as eternidades – deve-se entender a idéia que os Espíritos inferiores têm da perpetuidade de seus sofrimentos, porque, como não lhes é dado ver o fim do seu sofrimento, essa idéia revive em todas as provas em que fracassam7
126 Os Espíritos que alcançaram o grau supremo de perfeição, após terem passado pelo mal, têm menos mérito do que os outros, aos olhos de Deus?
– Deus contempla a todos do mesmo modo e os ama com o mesmo coração. Eles foram chamados maus por fracassarem; mas no início eram só simples Espíritos.
127 Os Espíritos são criados iguais quanto às aptidões intelectuais?
– Eles são criados iguais, mas, não sabendo de onde vêm, é preciso que o livre-arbítrio prossiga seu curso. Progridem mais ou menos rapidamente em inteligência como em moralidade.
☼ Os Espíritos que seguem desde o princípio o caminho do bem nem por isso são Espíritos perfeitos. Se não têm tendências más ainda precisam adquirir a experiência e os conhecimentos necessários para atingir a perfeição. Podemos compará-los a crianças que, qualquer que seja a bondade de seus instintos naturais, têm necessidade de se desenvolver, se esclarecer e não passam, sem transição, da infância à idade adulta. Assim como há homens bons e outros maus desde sua infância, há também Espíritos bons ou maus desde sua origem, com a diferença fundamental de que a criança tem os instintos todos formados, enquanto o Espírito, na sua formação, não é mau, nem bom; tem todas as tendências e toma uma ou outra direção por efeito de seu livre-arbítrio.