18 de ago de 2013

CANTINHO DA POESIA


                                           Visão do Cimo



 

1 O mundo atormentado é nau em desatino
Sob a fúria do mar que se agita e encapela…
Tudo treme ao pavor da indômita procela
E o homem — pobre viajor — é o triste peregrino.
2 Mas além surge a mão do Condutor Divino,
Doce, renovadora, imaculada e bela,
Busca o Celeste Amor que longe se acastela,
E acende para a Terra a luz de outro destino.
3 A voz dum só pastor, uma só fé que brade
Concórdia e entendimento a toda a Humanidade,
Na vitória do bem, purificado e santo.
4 Ruge agora a tormenta: entretanto, a alvorada
Presidirá com Cristo a vida transformada
Ao Clarão imortal da glória do Esperanto.
Amaral Ornellas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Comenta.